RSS

Bola com Gravata em novo endereço

Para quem deseja acompanhar as opiniões e relatos deste jornalista campineiro, paulista, cristão, socialista e amante do futebol, vá até o novo endereço. Confira:

www.bolacomgravata.com.br

Com mais espaço para opinião e sua participação. Te esperamos por lá!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 21 de abril de 2012 em Uncategorized

 

Ponte Preta x Carnielli x dívida: um tabu que precisa ser quebrado

O jornalista Luiz Ceará publicou em seu blog pessoal, hospedado no UOL, que o presidente da Ponte Preta, Sérgio Carnielli, está com o desejo de receber o seu investimento na Macaca, que segundo o jornalista é de R$ 120 milhões. O clube rebate e afirma que o valor é de R$ 83 milhões.  E que não descartaria entregar o posto ao ex-presidente Lauro Moraes. A Ponte Preta rebateu, o ex-presidente também e a guerra política está decretada.

Não queiram pedir contestação da minha parte. Se tem algo que respeito é a informação apurada por colega de profissão. Ficaria inconformado se alguém disse que uma matéria minha é mentirosa. Se a Ponte Preta está atingida, basta entrar na Justiça. É direito dela,. Como também direito do jornalista sustentar o direito da fonte.

Agora, o artigo de Ceará toca em um tema que precisa ser abordado: a dependência da Ponte Preta em relação a Carnielli. Ninguém aqui será louco de contestar a contribuição dada por Carnielli. Ele pegou um clube no buraco, investiu, fez campanhas interessantes e apresentou projetos audaciosos, como a nova Arena e o Centro de Treinamento em Sumaré.

Mas existe uma péssima noticia ao torcedor pontepretano: Carnielli não é eterno. Sabemos que neste ano a tentativa é de andar com as próprias pernas, mas penso que o Conselho Deliberativo da Macaca deveria dar um passo à frente e formular um plano de pagamento da divida com o presidente.

Ele não quer receber agora? Òtimo. Mas é dever do clube oferecer alternativas para pagar. Até para que indiretamente a Macaca seja incentivada a buscar mais fonte de recursos e em médio e longo prazo extermine com a dependência. Sejamos francos: a Ponte Preta não deveria contestar em público a noticia. A Justiça é o melhor caminho. O que precisa ser feito é trabalhar para que em um futuro próximo noticias como essas façam parte do passado.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 12 de abril de 2012 em Uncategorized

 

A “ditadura de opinião” reina na seara bugrina

É inegavel que o Guarani melhorou em relação ao caos vivido no ano passado. Montou time competitivo, está nas cabeças do Campeonato Paulista, conta com uma comissão técnica eficiente e faz um planejamento profissional para chegar na dianteira da Série B do Campeonato Brasileiro. E de quebra anuncia vitórias portentosas como o patrocinio da Coca-Cola que auxilia até na reforma de alguns departamentos e instalações do clube.

Mas algo perigoso instala-se entre a torcida : a proibição de criticar o Guarani. Parece ser pecado mortal apontar problemas, defeitos e equivocos que uma gestão que, bem ou mal e apesar da capacidade administrativa, ainda possue uma divida gigantesca a ser gerida. Mesmo assim, você encontra o torcedor na rua e a cobrança é que só venham elogios.

É duro, mas ninguém aprende que o conflito é parte inerente do trabalho do jornalista sério e independente. No lugar em que se vê um quarto lindo é preciso detectar onde está o cupim que em médio e longo prazo poderá corroer todo o armário. Isso não é ser urubu; é colaborar para que os responsáveis continuem na trilha de uma gestão eficiente.

O mesmo conceito vale para o futebol. A equipe atualmente encontra-se com boa produção, venceu jogos e está classificada. Agora, você que é torcedor consciente, consegue imaginar o Guarani vencendo no domingo se o Palmeiras atuasse do mesmo nivel de Santos e Corinthians, por exemplo?

Gosto do trabalho de Vadão. Acho um dos poucos estudiosos do futebol. Mas ele é humano e também comete erros. Assim como seus jogadores. E estes precisam ser apontados. Detalhe: este comportamento, por enquanto não está presente na atual diretoria, nem na comissão técnica e jogadores. Menos mal.

O Brasil lutou anos e anos para reestabelecer a sua democracia e a pluralidade de idéias. Não se admite agora que os torcedores e os clubes de futebol instalem uma “ditadura de opinião”. Pode resolver de imediarto, mas traz consequencias desagradaveis para o futuro.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 12 de abril de 2012 em Uncategorized

 

Guarani: entre Ibis e o Barcelona

Pense em um momento que você passou fome. Passou horas, dias, meses e anos sem comer. De repente, surge a chance de comer uma quentinha, uma marmitinha. Comida simples, sem enfeites: arroz, feijão, pepino, beterrada, ovo frito e farinha. Alimenta, recompõe as energias, mas fica muito longe de pratos mais nutritivos e até requintados. Mas você valoriza. Até porque não sabe se vai aparecer outra oportunidade de saciar sua fome. É justo e digno pensar assim.

Uso esta metáfora para ilustrar a atual situação do Guarani, atual quarto colocado do Campeonato Paulista. O blogueiro não é louco de renegar o belo trabalho feito pelo técnico Oswaldo Alvarez. Pegou um time falido, afundado em dividas e com jogadores desacreditados viabilizou uma campanha espetacular em comparação com o quadro do ano passado, em que os atrasos de salários quase deixaram o time na terceira divisão do campeonato nacional. Também é de se elogiar o preparo físico, a capacidade de decisão de Fumagalli, o faro de gol de Bruno Mendes e a segurança de Wellington Monteiro na zaga.

Mas todos esses aspectos, a vitória sobre o Palmeiras por3 a1 e a fase vivida na atualidade não podem mascarar os problemas ainda existentes na equipe e o longo caminho que existe para ser percorrido.

O Guarani ainda é um time em formação, tem instabilidade ofensiva nas laterais, padece de maior efetividade ofensiva em determinados trechos das partidas e mesmo o banco de reserva não se mostrou confiável em muitos jogos.

Mais: do mesmo jeito que a vitória contra o Palmeiras tem que ser celebrada, a derrota para o Botafogo também não pode ser esquecida, especialmente porque o adversário recusou-se a agredir em boa parte do jogo e o Guarani não soube aproveitar. Quanto ao Palmeiras sejamos justos: o Guarani ocupa a quarta posição, em parte porque jogou o suficiente para chegar lá e também porque o Alviverde paulistano teve queda acentuada nos últimos jogos. Ou alguém acredita que o Palmeiras daria chance se tivesse vencido o Mirassol ou ao menos empatado o confronto com o Corinthians? Pense nisso.

Resumo da ópera: o Guarani não é o Íbis para ser avacalhado, mas não é o Barcelona. Se fizermos um honesto balanço dos 18 jogos no Paulistão, temos que reconhecer que o futebol de hoje é insuficiente para alcançar o acesso na Série B do Campeonato Brasileiro. Pelo que tenho conhecimento, a torcida bugrina não quer terminar o Paulistão como campeão e depois ficar em quinto na Série B. Ou mudaram as prioridades? Pense nisso.

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 8 de abril de 2012 em Uncategorized

 

Dilma utiliza a simplicidade. E colhe os frutos…

 

 

Dilma brigou com a base aliada, mudou ministros, lançou programas, cobra melhorias na preparação da Copa do Mundo e ainda arranja tempo para posar ao lado do seu guru Luiz Inácio Lula da Silva. O resultado é avassalador: segundo a pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quarta-feira a aprovação ao governo atingiu 77%. Uma marca superior do que foi alcançada por FHC e Lula em igual período.

Vamos deixar claro de cara: o governo Dilma tem problemas. A política cultural é um desastre, as medidas econômicas ainda sofrem contestações e o relacionamento com a Fifa em relação á Copa do Mundo passa por turbulências.

Mas existe um adendo fundamental para explicar esse índice: Dilma passa seriedade, firmeza e honestidade em suas ações. Não vislumbrava nas ações de Lula em querer viajar pelo mundo como Mascate. Pelo contrário. Mas aos olhos do brasileiro comum, aquele integrante da classe média, trabalhador mesmo é aquele que fica dentro de um gabinete e dedica-se ao trabalho de modo insano. Dilma é assim. Quem sobre apenas são seus auxiliares.

Para colaborar, faça uma pesquisa em seu circulo de amigos: as pessoas que criticam o PT e a Dilma, só falam de corrupção, corrupção e corrupção. Claro que o tema deve ser abordado e cobrado, mas o que leva um político a alcançar cargos relevantes é a capacidade de vender sonhos, anseios e possibilidades de felicidade ao eleitor. O PSDB, nos últimos anos, só fala de incompetência administrativa do PT. Agora, é a alternativa? Qual programa, idéia ou conceito poderá substituir a atual receita reinante no Palácio do Planalto.

Não adiante José Serra ou Aécio Neves reclamarem das decisões de Dilma e que são respaldadas pelo PT. Enquanto os tucanos ostentarem essa visão de que o Brasil é para poucos ( ou a ideia de só para quem trabalha. Como se desempregado gostasse de ficar desocupado), o PT reinará por muito tempo.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 4 de abril de 2012 em Uncategorized

 

O Barcelona precisa de concorrência

Em 1974, a seleção holandesa encantava o mundo e virou franca favorita para ganhar a Copa do Mundo. Arrebentou com o Uruguai e Brasil e tudo levava a crer que o triunfo sobre os donos da casa seria questão de tempo. O que ninguém esperava era que o esquema tático formulado por  Helmut SCHÖEN transformasse a Alemanha em um paredão e a Copa fosse faturada em Munique, apesar do talento de CRUIJFF. Ao final, o futebol na época ganhou sabor porque a Holanda encontrou um oponente de respeito.

Faço esse preambulo para exibir minha perplexidade com o atual momento do Barcelona e a incapacidade dos adversários em paralisar o melhor time do futebol mundial. Claro, o blogueiro ama assistir aos jogos do time catalão e pensa que a dimensão das conquistas ganharia maior relevância se existisse um time e um técnico capaz de parar a patota de Pepe Guardiola.

O Flamengo de Zico foi enorme, mas tinha no Grêmio de Ênio Andrade um adversário de respeito. O São Paulo da década de 1990 não baixava a guarda contra o Palmeiras de Evair, Edmundo e Edilson. Mesmo o Santos de Robinho, em 2002 e 2003 teve em Corinthians e Cruzeiros oponentes de respeito.

Já passou da hora do Barcelona receber um concorrente de peso. Quem se habilita?

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 4 de abril de 2012 em Uncategorized

 

Neto x Maranhão: o Guarani deveria fazer o negócio…

Apesar de encontrar-se na disputa do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil, o Guarani pensa na Série B. Precisa fazer contratações pontuais e formular um banco de reservas competitivo para aguentar uma maratona de 38 jogos. Pior: ao final, tem que terminar entre os quatro primeiros colocados.

E uma possibilidade ventilada nos últimos dias foi a possibilidade de empréstimo de Maranhão, do Santos, pelo zagueiro Neto. Ao participar ontem da “Central Esportiva” na Rádio Central, coloquei minha posição sobre a possibilidade positiva de negociação. Alguns companheiros respeitosamente consideram que o Alviverde não pode vacilar e precisa arrecadar.

Pois bem, vou aproveitar este espaço para discordar e expor porque acho que a negociação é válida. Detalhe: também achava que deveria entrar dinheiro na jogada. Mas mudei de opinião. Afinal, antes mudar de opinião do que não possuir nenhuma opinião para mudar.

Se verificarmos em curtíssimo prazo, é lógico que o Guarani precisa de dinheiro para aliviar suas combalidas finanças.

Mas existe uma hora, que é preciso planejar o médio e o longo prazo. E se possível abrir mão de algumas benesses.

O objetivo principal do Guarani hoje é chegar às quatro primeiras colocações da Série B e em 2013 viabilizar de maio a dezembro um orçamento total de, no mínimo, R$ 18 milhões. Esse é o foco.

E nesse contexto contar com o futebol ofensivo e solidário de Maranhão seria interessantíssimo. Vadão contaria com uma opção de velocidade e de desafogo pelo lado do campo e de quebra daria uma folga ao lado esquerdo, sobrecarregado porque é responsável por 90% das ações de ataque.

Neto? Tudo bem, o cara faz um campeonato paulista espetacular. Mas não podemos esquecer que no geral a sua trajetória no Guarani é, com muita boa vontade, razoável. Foi contestado pela torcida e crônica esportiva devido a partidas sofríveis.

Recuperou-se? Lógico, mas ao analisar o cenário geral não dá para estufar o peito e pedir um caminhão de dinheiro. O ideal é fazer uma troca pura e simples por empréstimo e fixar o preço da indenização caso o Santos queira permanecer com o beque ao final da estadia, em dezembro.

À primeira vista, caso a operação seja realizada, o Guarani poderá passar a imprensa que está dando dois passos atrás. Mas com Maranhão no time titular, o Alviverde poderá realizar cinco passos à frente.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 4 de abril de 2012 em Uncategorized