RSS

Nelson Jobim: o bobo da corte da República Tucana

04 ago

São tantos assuntos importantes, que não me lembro de ter abordado neste espaço as frases infelizes do ministro da Defesa, Nelson Jobim. Ataques a presidenta Dilma Roussef e sua confissão em votar em José Serra pareciam o limite de um típico fanfarrão, uma pessoa que alcançou os altos degraus da politica e se sentia acima do bem e do mal. Mas a ousadia não tem limites. A revista Piauí que chega às bancas nesta sexta-feira mostra que Jobim atacou ferozmente Ideli Salvati e Gleisi Hoffmann. De uma disse que era fraquinha e da outra duvidava que tivesse conhecimento de Brasilia.

Em qualquer país do mundo seria caso de demissão sumária. Talvez aconteça até o final da tarde. Mas a relutância de Dilma em demitir mostra um receio em encarar um adversário nebuloso e pronto a montar qualquer armadilha. É um grupo que se comporta como garoto birrento: a bola é minha e só eu visto a camisa 10. Essa turma tem nome e sobrenome. É a república tucana.

É uma turma dúbia. Assim como o Brasil. Afirma de um lado que luta por incluir pessoas humildes nas classes C,D e E e que não se conforma com casos de discriminação racial. No reverso da moeda, não se conforma quando essa mesma turma luta por postos políticos ou ocupa cargos de relevância.

A república tucana é especialista em buscar a elitização. Considero que os políticos não eleitos e sim ungidos. É algo divino, próximo do poder supremo. Um trabalhador assumir a presidência da República? Inadmissivel! Uma ex-estudante torturada na ditadura ocupar o posto máximo do Planalto? Calúnia! A república tucana na verdade quer mudar para deixar tudo do jeito que está.

A república tucana tem repugnância á corrupção. Dos outros. Pasta Rosa, Sivam, Compra de votos da Reeleição…são acidentes de percursos e devem ser ignorados. De preferência, com um copo de vinho na mão e com telefone na mesa para entrar em contato com o seu colunista favorito. Que lógico, em suas linhas vai escrever como a República tucana era maravilhosa, profissional, destemida, competente…os outros só enganaram. E 80% da população caiu no conto.

Mas a República tucana tem um fraco: o poder. Cargos, pompas e mordomias fazem o componente mudar de idéia do dia para a noite. O operário vira gênio; a guerrilheira vira executiva eficiente; e os colegas de ministério, em público, merecem elogios. Nas sombras, ganham a masmorra. Nunca é demais lembrar: Nelson Jobim sempre esteve nos braços da República tucana. Mas assumiu o Ministério da Defesa em quadro de urgência, aproveitando-se de uma debilidade do PT na área, especialmente após a deflagração do caos. Deve ter pesado os prós e contras e chegado à conclusão que, como diria dona Florinda, um naco expressivo de poder compensava para suportar a “gentalha”. Detalhe: o tempo passou e os aeroportos continuam uma zona. Sim, aqueles que Jobim prometeu colocar em ordem. Fracassou em sua missão e quer atrapalhar o serviço dos outros.

Conclusão: Nelson Jobim, pode ser filiado ao PMDB, mas é típico representante da República Tucana. E para lá é que deve voltar. Urgente.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 4 de agosto de 2011 em Uncategorized

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: