RSS

Brasileirão: um campeonato de bons jogadores e treinadores parados no tempo…

04 set

Nunca escondi minhas desconfianças em relação a maioria dos técnicos brasileiros. São arrogantes, posam de estudiosos, mas basta assistiu um mísero jogo de qualquer campeonato europeu para verificar que temos profissionais atrasados, teimosos e antiquados. Em tudo. A rodada deste final de semana do Brasieirão mostrou com fatos os motivos de nosso atraso.

No Engenhão, o técnico Wanderley Luxemburgo tinha diante de si o desafio de fazer o Flamengo jogar, apesar da ausência de Ronaldinho Gaúcho. Em forma e interessado, transformou-se na principal opção ofensiva da equipe. Em circunstancias normais, um treinador deveria montar um esquema alternativa, um estratégia para fugir desta dependência. Nada disso. O Flamengo ficava tocando a bola, cercando, buscando um espaço, como se esperasse o aparecimento de Ronaldinho Gaúcho como em um toque de mágica. Não apareceu. Resultado: de modo simples e eficiente, o Bahia marcou 3 a 1 e ganha folego na luta contra o rebaixamento.

No estádio do Pacaembu, apesar da presença de atletas talentosos, a mesmice dominava o confronto entre Palmeiras e Cruzeiro. Muita luta e poucos lances de emoção e parecia que o empate seria destino certo. Até que um lance de Luan deu a senha de que a vitória do Palestra Itália seria eminente. Perdido e sem qualquer estratégia, o Cruzeiro depende de suas individualidades para colher ponto. E o milagre aconteceu. Montillo fez jogada espetacular e empatou. Na sequência, o goleiro Rafael pegou o pênalti  batido por Marcos Assunção.

Enquanto isso, o técnico Luis Felipe Scolari, agraciado (merecidamente!) por gordos vencimentos só conseguia fazer as costumeiras caras e bocas. Compreendo que seu elenco não conta com grandes opções para alterar o sistema tático e a qualidade do jogo. Mas um campeão do mundo deveria fazer uma constante autocritica e tentar novas formas de trabalho. Apesar de vitorioso e respeitado, Felipão parece exibir cansação. E falta de reciclagem.

Na última semana, o técnico Muricy Ramalho, com razão afirmou que deveria existir uma regra que amenizasse a ciranda de treinadores registrada nos bastidores. Dou outra sugestão: a obrigatoriedade de todos frequentarem periodicamente cursos de reciclagem para montar novas estratégias. Porque funcionário antenado ninguém abre mão.

Anúncios
 
1 comentário

Publicado por em 4 de setembro de 2011 em Uncategorized

 

Uma resposta para “Brasileirão: um campeonato de bons jogadores e treinadores parados no tempo…

  1. Fábio Soares

    5 de setembro de 2011 at 0:39

    Fala Elias, é o Fábio. Beleza? Queria te convidar coloborar no meu blog. Quando tiver alguma curiosidade em relação às torcidas, coisas de estádio sabe? Fique à vontade. A ideia é ter uma rede de colaboradores passando detalhes interessantes captados por quem vai ao estádio. Eu, obviamente, dou os créditos.Abs.

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: